CONHEÇA AGORA A HISTÓRIA

DE UMA DAS PAIXÕES DO PAULISTANO.

A PIZZA


Como Tudo Começou

É até difícil de acreditar, mas esta história é muito mais antiga do que parece. Faz muito tempo que o homem saboreia a pizza. Como todo prato antigo, é difícil especificar sua origem, ainda mais se pensarmos que ela não é nada mais que uma evolução do pão. A primeira notícia que se tem da pizza tem mais de 6.000 anos. Os antigos hebreus e egípcios já saboreavam uma mistura de trigo e água que era chamada "O Pão de Abrahão" - Uma espécie de tataravô da pizza de hoje. Desde que foi descoberta a fermentação da massa de trigo e o forno - graças ao talento dos egípcios, começou-se a enriquecer os pães de forma achatada com diversos ingredientes, como azeitonas, ervas aromáticas, etc. Segundo anotações do poeta Virgílio, os gregos e romanos faziam pães semelhantes. Ele mesmo registrou a receita do moretum, uma massa não fermentada, assada, recheada com vinagre e azeite, coberta com fatias de alho e cebola crua. Se essa mesma massa fosse fermentada, Virgílio teria então a fórmula básica de uma pizza simples. 

Sanduíche de Pizza 

Há muitos séculos atrás, foi a vez dos italianos da cidade de Nápoles se apaixonarem pela pizza. Embora tratasse do antecessor do talharim, parece que as variações sobre o lagano originaram o conceito de picea - e não muito tempo depois aparecia, pela primeira vez, na romântica Nápoles, a palavra pizza. Na verdade, no sul da Itália até hoje a idéia de pizza abrange também as massas fritas e recheadas. A verdadeira personalidade da pizza, porém, só surgiu depois que a Europa conheceu o tomate, levado para lá pelos conquistadores espanhóis, descobrindo suas ricas aplicações. Foram eles que resolveram acrescentar a pizza o tomate, mas a pizza ainda não tinha a forma como é conhecida hoje. No início era dobrada ao meio, como se fosse um suculento sanduíche. Finalmente, no séculoXVII, Nápoles começa a produzir sua pizza, atiçando a imaginação e a criatividade dos padeiros que enriqueciam o prato usando azeite, alho, mozarela, anchova e os pequenos peixes cicinielle. Alguns "artistas" da culinária começavam até mesmo a dobrar suas massas recheadas, inventando assim o célebre calzone. 


"Uma Pizza Para a Rainha Margherita"

No início do século XVIII, mais precisamente em 1889, Dom Raffaelo Espósito, comerciante de Nápoles, Itália, produzia e vendia um alimento, aperfeiçoado da popular massa de pão, recheada de torresmos, azeitona e queijo "cavalo", que abastecia as mesas das famílias pobres de Nápoles, desde o início daquele milênio, denominada Pizza. A fama de Espósito correu a Itália e fez com que o Rei Umberto I e a Rainha Margherita que passavam o verão no Palácio Capodimonte realizasse uma verdadeira operação de guerra para trazer à cozinha do palácio o conceituado Pizzaiolo, Dom Raffaelo Espósito para que preparasse para a Rainha Margherita de Sabóia uma pizza. A rainha já havia ouvido falar muito no prato que se tornara típico daquela cidade. Os comentários na corte eram todos excitantes, mas ela mesma nunca havia provado uma pizza. Dom Raffaelo e sua mulher foram apresentados ao casal reale logo após foram conduzidos à cozinha e imediatamente passaram a preparar sua especialidade. Ao final, Dom Raffaelo ofereceu ao casal real vários tipos de pizzas - mas a que mais agradou a rainha foi uma que irradiava as três cores nacionais da Itália, verde-branco-vermelho, ressaltadas pela mussarela, pelo tomate e pelo manjericão. Negociante esperto, Dom Raffaelo batizou-a de Pizza Alla Margherita, o que lhe rendeu muitos lucros em seu restaurante e notoriedades históricas na culinária italiana. 
Um prato tão delicioso, que até os reis e nobres caíram em tentação. Acabaram dando importantes contribuições usando a calabresa e os ovos para enriquecer mais aquela massa. Concursos foram feitos nas cortes e cozinheiros famosos inventavam sabores para homenagear rainhas. Juntamente com a Pizza Alla Margherita, a Pizza Napolitana fez Nápoles conquistar a Itália, e logo, a Itália conquistar o mundo, através do meio mais agradável - o paladar.  Junte-se a isso um vinho saboroso e uma canção aveludada para entendermos, afinal, porque a Itália ficará para sempre como a terra do prazer e da paixão. 

A Primeira Pizzaria 

Port'Alba foi a primeira pizzaria de que se tem registro. Surgiu em Nápoles em 1830 e se transformou no ponto de encontro de pintores, poetas e escritores famosos da época. Um deles foi Alexandre Dumas, que chegou a mencionar em suas obras as variações de pizza mais populares da segunda metade do século XIX. O autor de "Os Três Mosqueteiros", chegou mesmo a anotar a receita de uma pizza feita com banha, toucinho derretido, queijo, cicinielle e tomate. A partir daí se disseminou pelas regiões vizinhas e ganhou o mundo com os navios dos imigrantes italianos. No Brasil, até os anos 50, as pizzarias eram uma exclusividade das colônias italianas e seus redutos. A partir daí elas se disseminaram por todo o país até se transformarem, nos dias atuais, num dos mais saborosos pratos de nossa culinária.


 

AVENIDA ELISEU DA ALMEIDA, 803 - BUTANTÃ (próximo a Concessionária Carrera Veículos)
DISQUE - 3721-8255 - 3721-1350